Leão do Imposto de Renda

O que você precisa saber para declarar seu Imposto de Renda em 2020

Agora que o Carnaval passou, o ano começou de verdade. E dentre todas as nossas obrigações anuais com o governo, está o temido Imposto de Renda. O período para fazer a declaração de 2020 deverá ser do dia 2 de março até 30 de abril. Lembre-se que, apesar de não ser a coisa mais agradável de se fazer, declarar o imposto é necessário, e temos que estar preparados para isso.

Eu percebo que ainda existem muitas dúvidas sobre o IR. Não é um bicho de sete cabeças como algumas pessoas pensam. Mas é importante ficar atento, e se preparar para a hora da declaração. Assim você evita qualquer tipo de erro. Para tentar facilitar todo esse trabalho, separei algumas dicas e respondi algumas dúvidas sobre como fazer o seu Imposto de Renda, e sobre as mudanças que ocorreram neste ano. Olha só:

Quem é obrigado a declarar Imposto de Renda?

1- Quem recebeu rendimentos tributáveis, somados e sujeitos ao ajuste na declaração acima de R$ 28.559,70 no ano de 2019;

2- Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40.000,00 em 2019;

3- Quem obteve ganho de capital sujeito à incidência do imposto, ou realizaram operações em bolsas de valores em 2019;

4-  Quem obteve receita bruta da atividade rural em valor superior a R$ 142.798,50 e pretende compensar os prejuízos da atividade rural apurados em anos-calendário anteriores ou no próprio ano;

5-  Quem tinha bens em 31/12/2019 com valor superior a R$ 300.000,00;

6- Quem passou à condição de residente fiscal no Brasil em 2019 e permaneceu nesta condição até 31/12/2019;

7- Quem optou pela isenção do imposto de renda sobre o ganho de capital na venda de imóveis residenciais quando aplicado o produto da venda na aquisição de imóveis residenciais no prazo de 180 dias da alienação.

Na hora de declarar o Imposto de Renda é importante fazer um checklist para organizar os documentos necessários.

Prepare-se para declarar o Imposto de Renda

Separe todos os documentos com antecedência e faça o download do programa de IRPF 2020. 

Você pode pegar a declaração do ano anterior para verificar todas as receitas e despesas, e montar um checklist para te ajudar nesse momento. Dessa forma você consegue verificar quais são os documentos e informações faltantes. 

É indispensável a organização na hora da declaração do Imposto de Renda, pois assim você consegue entregar com maior tranquilidade. Além disso, quanto mais rápido declarar o IR, caso tenha direito à restituição, mais rápido irá recebê-la. E como nós já sabemos, quanto antes investir o dinheiro, mais ele irá render. Se você ainda tem dúvidas sobre como aplicar na Bolsa de Valores, veja o artigo que escrevi que ensino como começar.

Antes de começar a declarar, tenha em mãos os informes de rendimento do ano anterior no seu banco e corretora. Além disso, é importante pensar em todos os gastos que você teve com educação, saúde, previdência privada e dependentes para tentar receber a restituição. Mas não se esqueça de que tudo isso precisa de comprovação através de recibos, que deverão ser guardados por cinco anos posteriores. 

Na hora de declarar, é muito importante que você não deixe de lado nenhum detalhe, pois quando há divergências ou falta de informações, o processamento da declaração é interrompido para análise. Neste caso, o contribuinte pode ser notificado para justificar os valores declarados. Se não for possível esclarecer, vai acabar caindo na temida malha fina.

Quais são os documentos necessários?

1- Comprovantes de todos os rendimentos do decorrer do ano;

2- Informes de rendimentos das contas bancárias que tenha;

3- Comprovantes de eventuais despesas com instrução, tanto própria quanto dos dependentes;

4- Comprovantes de despesas com planos de saúde, médicos, dentistas, psicólogos, dentre outras despesas médicas dedutíveis;

5- Comprovantes de contribuições à previdência social e/ou a entidades de previdência privada;

6- Documentos comprobatórios das importâncias pagas a título de pensão alimentícia, quando em cumprimento de decisão judicial ou de acordo homologado judicialmente;

6- Documentos de aquisição e de venda de bens móveis e/ou imóveis;

7- Comprovantes das dívidas que eventualmente tenham sido contraídas no decorrer do ano;

8- Informações sobre bens, rendimentos e despesas da atividade rural.

Para trazer mais informações sobre a declaração do Imposto de Renda gravei um vídeo para o meu canal do Youtube com a Geovana Pagel. Ela é editora do site de notícias Mercado News, onde são publicados conteúdos sobre o mercado financeiro todos os dias. No vídeo respondemos algumas perguntas sobre o assunto. Você também pode enviar mais dúvidas no site e ser respondido por especialistas. Vale a pena conferir:

Declaração completa ou simplificada?

Quando declaramos o Imposto de Renda, existem duas opções: a declaração completa e a simplificada. Existem muitas dúvidas sobre qual é a melhor escolha, mas a verdade é que depende das despesas que cada um tem para deduzir. Se você tem filhos como seus dependentes, paga escola, plano de saúde e ainda contribui com previdência privada, talvez o modelo completo seja a melhor opção, pois cada item tem o seu desconto. 

Já para quem tem poucas despesas que podem ser deduzidas, pode ser melhor fazer a declaração simplificada, pois neste caso é deduzida uma porcentagem padrão de 20% do seu valor tributável. Se a dúvida permanecer, saiba que você pode fazer uma simulação no programa da Receita Federal. 

Outro ponto interessante de lembrar, é que o limite das deduções é de R$ 16.754,34. Isso quer dizer que se você tem um rendimento anual de R$ 100.000,00, por exemplo, a declaração simplificada pode ser bem interessante. Pois, neste caso, não será deduzido o equivalente a 20%, e sim 16,75%. É importante analisar também este aspecto na hora de escolher qual a melhor opção.

Conclusão

Quase ninguém gosta de declarar Imposto de Renda, mas, olhando pelo lado positivo, se você está declarando, é porque tem um bom rendimento financeiro. Por mais que não seja algo muito agradável a se fazer, é importante se organizar o quanto antes para realizar o IR sem estresse. 

Se você for um dos sortudos que vai receber restituição, não pense em sair gastando este dinheiro descontroladamente. É muito importante aproveitar o capital para pagar dívidas e investir o que sobrar. Não se esqueça de que é o seu patrimônio que está em jogo! E quanto mais você investe agora, mais irá lucrar no futuro. Combinado?

Posts Relacionados

Mulher ruiva com máscara para representar organização financeira em tempos de coronavírus

02

abr
Educação Financeira

5 dicas de organização financeira em tempo de Coronavírus

Os efeitos do Coronavírus são em todas as áreas possíveis, e não seria diferente nas nossas finanças. Sendo assim, resolvi compartilhar aqui algumas dicas pontuais sobre organização financeira para esse período. Sei que será bem complicado para muitas pessoas, e nem sempre essas dicas vão ser suficientes para salvar você do vermelho nas dívidas. Mas espero que, […]